Legião Urbana

9 09+00:00 outubro 09+00:00 2013
Legião Urbana

A banda foi formada em agosto de 1982 poucos meses após uma discussão de Renato Russo com sua antiga banda, Aborto Elétrico, devido a uma briga com o integrante Fê Lemos (bateria) na música “Veraneio Vascaína” (na ocasião, Renato havia errado a letra e levou uma baquetada em pleno show).Com o fim da banda, Fê Lemos e seu irmão, Flávio Lemos (contrabaixo), reúnem-se com Dinho Ouro Preto e formam o Capital Inicial.

Para compor, Renato Russo se inspirava em bandas como Sex Pistols, The Beatles, Ramones, Gang of Four, The Smiths, The Cure, Talking Heads e Joy Division e no filósofo Jean-Jacques Rousseau (daí a inspiração para o nome artístico).

A primeira apresentação da Legião Urbana aconteceu em 5 de setembro de 1982 na cidade mineira de Patos de Minas, durante o festival Rock no Parque, que contou com outras oito atrações, entre elas a Plebe Rude. Esse foi o único concerto em que a banda apareceu com a sua primeira formação: Renato Russo (vocalista e baixista), Marcelo Bonfá (baterista), Paulo Paulista (tecladista) e Eduardo Paraná (guitarrista), hoje conhecido como Kadu Lambach.

Na verdade, a Cadoro Promoções — empresa responsável pela produção do festival — havia contratado o Aborto Elétrico e até impresso centenas de cartazes com o nome da banda formada por Renato Russo, Fê Lemos e André Pretorius. Mas como o grupo havia acabado, Renato convenceu o dono da produtora, Carlos Alberto Xaulim, a se apresentar com a banda que tinha acabado de formar com o baterista Marcelo Bonfá.

Brasília era ainda uma ilha cultural em relação ao resto do país. Até 1978, a história curta da nova capital não lhe atribuíra ainda nenhum momento particularmente brilhante nas artes, até porque não havia sido formada a primeira geração de artistas brasilienses. Estes estavam surgindo, justamente ali, com a cara que aquelas duas primeiras décadas tinha tido na cidade.“Química” era um dos hinos do Aborto Elétrico e foi a primeira canção daquela turma a ser gravada em fonograma e lançada em LP e K7 por todo o país. Não tardou para que Jorge Davidson, agente da gravadora britânica EMI, assinasse contrato com a banda.

Entraram em cena acelerando o andamento da música jovem brasileira. De toda a geração emergida no boom do rock nacional em 1985, a Legião Urbana foi a banda mais venerada pelo público e respeitada pela crítica. Apesar das letras consideradas sérias, por outro lado, o discurso não caía para a facilidade do tom panfletário.

Em 23 de julho de 1983, a Legião faz no Circo Voador, Rio de Janeiro, um concerto que mudaria a história da banda. Após a apresentação, eles são convidados a gravar uma fita demo com a EMI. No ano seguinte, por indicação de Marcelo Bonfá, entra o baixista Renato Rocha e começa então a gravação do primeiro disco.

O primeiro álbum, Legião Urbana, lançado em 2 de janeiro de 1985, é extremamente politizado, com letras que fazem críticas contundentes a diversos aspectos da sociedade brasileira. Paralelo a isso, possui canções de amor que foram marcantes na história da música brasileira, como “Será”, “Ainda é cedo” e “Por Enquanto”, esta última que é considerada como a melhor faixa de encerramento de um disco, segundo Arthur Dapieve, crítico e amigo de Renato Russo.

“Geração Coca-Cola” é outra música famosa deste álbum. Com ares punks e guitarras distorcidas, assumiam a voz daqueles que tinham crescido sobre o período militar chamando-os de “Geração Coca-Cola”.

O segundo álbum, Dois, foi lançado em 1986, o lado lírico e folk aflorou mais. Se o primeiro trabalho tinha toda a urgência punk-aborto-elétrico, aquele era o contraponto, a visão complementar de um trovador que já não era mais solitário. O disco deveria ser duplo e se chamar Mitologia e Intuição, mas o projeto foi recusado pela gravadora, fazendo com que o disco saísse simples. A primeira música, “Daniel na Cova dos Leões” é iniciada com um pouco da canção “Será” envolto a ruídos de rádio e do hino da Internacional Socialista. É o segundo álbum mais vendido da banda, com mais de 1,2 milhão de cópias, e considerado por muitos o mais romântico.
“Tempo Perdido” fez um grande sucesso e se tornou um dos clássicos da Legião. “Eduardo e Mônica”, “Índios” e “Quase Sem Querer” também fizeram muito sucesso.

O disco seguinte, Que País É Este 1978/1987 foi lançado em dezembro de 1987. O sucesso de Dois fez com que a gravadora pressionasse muito a banda para o lançamento de seu terceiro álbum, sem que houvesse repertório para isso. Das nove faixas de Que País É Este 1978/1987, apenas duas foram compostas depois de Dois justamente as duas últimas, Angra dos Reis, em menção à construção de uma usina nuclear na cidade fluminense, e Mais do Mesmo, que em 1998 daria título à coletânea Mais do Mesmo.

A música Que País É Este foi escrita em 1978, na época em que Russo ainda fazia parte do Aborto Elétrico. Faroeste Caboclo foi composta em 1979, na fase “Trovador Solitário” de Renato Russo.

As Quatro Estações foi lançado em novembro de 1989, dezesseis meses depois do início dos seus trabalhos e de um dos períodos mais difíceis e, ao mesmo tempo, criativos da Legião Urbana em estúdio. Passado aquele tempo, episódios como o show do Mané Garrincha, a saída de Renato Rocha, a morte de alguns amigos e o nascimento dos primeiros filhos, tinham expostos a banda a uma catarse de sentimentos e experiências que seriam decisivas no resultado daquele disco.

Uma série de canções de grande apelo popular, sem perder o rebuscamento lírico – que se mostrava ainda mais afiado – foi a marca do álbum. Algumas letras eram bastante enigmáticas, outras bem diretas. Um misto de mansidão, amorosidade e esperança, guiado por diversas citações religiosas, dava novas cores à obra da Legião.

“Agora é espírito, é Deus, é amor”, disse Renato em uma entrevista às vésperas do lançamento do álbum, tentando explicar que, apesar das poucas mudanças no cenário nacional, os tempos que inspiraram “Que país é este” já tinham passado e que era preciso olhar para frente. “Tem que ter um caminho de iluminação em que você não se destrói”, ele diria meses depois, quando o disco já chegara às lojas.

Naquela época, faziam dois anos desde o lançamento do LP anterior. A ausência da banda no mercado fonográfico, somada à força do repertório apresentado, teve um efeito catalisador sobre as vendas. De cara, 450 mil cópias foram encomendadas antes mesmo do lançamento. Passado cerca de um ano do lançamento, com seis faixas já estouradas nas rádios do país, a marca superava a das 700 mil cópias vendidas. As Quatro Estações também foi o primeiro álbum da banda a ser lançado também no formato CD.

A banda agora era um trio. As dificuldades que isso trouxe nas gravações seriam redimidas pela presença de três novos músicos de apoio para a turnê do álbum, que viria a ser a maior já feita pela Legião Urbana.

Lançado em Novembro de 1991, V é considerado disco mais melancólico da banda. Renato estava em um momento complicado de sua vida, por conta da descoberta de que era soropositivo um ano e meio antes, problemas no relacionamento com seu namorado, Robert Scott Hickman, e alcoolismo.

O álbum é repleto de canções atípicas para os “padrões” da banda. A atmosfera de “Metal Contra as Nuvens”, com seus mais de onze minutos de duração, é um dos destaques, assim como a densa “A Montanha Mágica”. A crítica social de “O Teatro dos Vampiros” e a melancólica “Vento no Litoral” foram as mais tocadas neste disco.

O álbum O Descobrimento do Brasil de 1993 foi lançado na época em que Renato Russo tinha iniciado o tratamento para livrar-se da dependência química e mostrava-se otimista quanto ao seu sucesso. Ainda assim, as letras oscilam entre tristeza e alegria, encontros e despedidas.

É como se, para seguir em frente, fosse necessário deixar muitas coisas para trás, e não se pudesse fazer isso sem uma boa dose de nostalgia. Desta forma, Descobrimento é um álbum com fortes notas de esperança, mas permeado por tristeza e saudosismo. Ainda assim, é considerado por muitos o álbum mais “alegre” e delicado da Legião Urbana. Apesar de boas vendas, o disco não foi muito tocado nas rádios. As faixas de sucesso foram “Giz”, “Vinte e Nove” e “Perfeição”, música essa que foi na época uma pesada crítica ao Brasil.

O último concerto da Legião Urbana aconteceu em 14 de janeiro de 1995, na casa de apresentações “Reggae Night” em Santos, litoral do estado de São Paulo. No mesmo ano, todos os discos de estúdio da banda até 1993 foram remasterizados no lendário estúdio britânico Abbey Road Studios, em Londres, famoso por vários discos dos Beatles; e lançados em uma lata, intitulada “Por Enquanto 1984-1995”. A lata também incluía um pequeno livro, com um texto escrito pelo antropólogo Hermano Vianna, irmão do músico Herbert Vianna.

A Tempestade ou O Livro dos Dias, lançado em 20 de setembro de 1996, foi o último da banda com o Renato Russo vivo. Além disso, o álbum possui densas músicas, alternando o rock clássico de “Natália” e “Dezesseis”, ao lirismo de “L’Aventura”, “A Via Láctea”, “Leila”, “1º de Julho” e “O Livro dos Dias” e ao classicismo de “Longe do Meu Lado”. As letras, em geral, abordam temas como solidão, passado, amor, depressão, homossexualidade, AIDS, intolerância e injustiças, sendo um disco “melodramático” e de alma triste.

Algumas canções do disco sugerem uma despedida antecipada, como diz o trecho “e quando eu for embora, não, não chore por mim”, da canção “Música Ambiente”. As fotos do encarte foram tiradas próximas à época do lançamento, exceto a de Renato, que foi aproveitada da sessão de fotos do seu álbum solo Equilíbrio Distante de 1995, já que o cantor, um pouco debilitado, se recusou a fotografar para o disco.

O álbum A Tempestade foi lançado inicialmente na época como um clássico livrinho com capa de papelão e anos depois relançado como álbum comum (caixa de plástico). A foto do guitarrista Dado é diferente entre as duas versões. Com exceção de “A Via Láctea”, as demais faixas do álbum possuem apenas a voz guia de Renato, que não quis gravar as vozes definitivas. Também não foram incluídas as frases “Urbana Legio Omnia Vincit” e “Ouça no Volume Máximo”, presentes nos discos do grupo.
Em seu lugar, uma frase do escritor modernista brasileiro Oswald de Andrade: “O Brasil é uma República Federativa cheia de árvores e gente dizendo adeus”. O fim oficial da banda aconteceu em 22 de outubro de 1996, onze dias após a morte do mentor, líder e fundador da banda.

Renato Russo faleceu 21 dias após o lançamento de A Tempestade, no dia 11 de Outubro de 1996.Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá seguiram suas carreiras e lançaram discos solo nos anos seguintes.

Deixe um comentário