Arnaldo Brandão

15 15+00:00 abril 15+00:00 2013
Arnaldo Brandão

Um dos precursores do Brock, Arnaldo Brandão foi membro de grupos fundamentais como A Bolha, nos 60; Brylho, nos anos 70; e Hanoi Hanoi nos anos 80; foi também o baixista que acompanhou Caetano Veloso em A Outra Banda da Terra e fez parte dos Doces Bárbaros (Gal, Gil, Caetano e Betânia); gravou e tocou com Raul Seixas, Rita Lee, Jorge Mautner, Jorge Ben e Luis Melodia.

Como instrumentista, o jovem baixista que aos 18 anos empreendeu suas primeiras aventuras musicais ao lado de nomes como Jards Macalé e Gal Costa, se tornou um nome consagrado no Brasil. Foi o introdutor do slap (maneira percussiva de tocar as cordas do baixo) no país, deixando sua marca em gravações antológicas, como as de Odara (Caetano) e Negro Gato (Luis Melodia).

Em sua faceta de compositor, Arnaldo integra a memória afetiva de gerações de brasileiros com suas composições. É co-autor de clássicos como “Rádio Blá”; “O Tempo Não Pára”, “Noite do Prazer” e “Totalmente Demais”.

Empreendedor, Arnaldo abriu em 1987 o Hanoi Studio, atualmente uma referência no cenário musical carioca, por onde passam artistas renomados e jovens talentos. O local serviu de palco para a preparação do primeiro disco solo do artista, “Brandão e o Plano D”, lançado em 2002.

Em 1997 ocorreu uma evolução decisiva na carreira de Arnaldo: ele começou a tocar guitarra na banda Power of Jimi, dedicada a covers de Jimi Hendrix.

Arnaldo também já se aventurou com sucesso no campo da produção e direção musical. Em 2004 foi o responsável pela direção e produção musical do projeto Baú do Raul, em homenagem a Raul Seixas, lançando pela gravadora Som Livre em CD e DVD, que recebeu premio de platina no mesmo ano.

Em 2006 gravou e produziu o CD do grupo A Bolha com originais inéditas dos anos 70, para o filme “1972” de José Emílio Rondeau.
Em sua carreira solo, o músico confirmou sua vocação para multiartista. Em seu mais recente disco “Amnésia Programada”, lançado em 2009, o músico toca violão, guitarra, baixo, bateria, percussão e teclados, assinando todas as dez faixas, oito delas parcerias com Tavinho Paes – seu parceiro constante.

Neste trabalho, Arnaldo foge dos rótulos fáceis entre o Rock e a MPB e apresenta uma obra atual, cheia de tiradas instigantes, síntese das influências musicais que ele encontrou ao longo de sua carreira.

Atualmente Arnaldo está preparando seu 4º CD solo, que será lançado em 2013.
Fonte Site do Artista

Deixe um comentário